Saúde da mulher-Idades



O passar dos anos provoca em nosso corpo uma série de alterações. O uso de anticoncepcionais, acne, celulite, climatério e menopausa são fontes de preocupação comuns entre as mulheres. Mas, com uma alimentação balanceada, fonte de nutrientes, é possível sentir-se bem e ter mais qualidade de vida, independentemente da idade.

Aos 18 anos

Nessa fase, é comum a preferência por alimentos industrializados, refinados e gordurosos, os quais podem levar a deficiências nutricionais que atrapalham o desenvolvimento da jovem.
O consumo de corantes, presentes em grandes quantidades nesses alimentos, está relacionado com a hiperatividade e distúrbio de atenção, o que pode atrapalhar o desempenho escolar.

Industrializados x acne e celulite A acne é uma doença das glândulas sebáceas, caracterizadas por lesões inflamatórias, principalmente na face. Sua principal causa são as alterações hormonais típicas da puberdade, mas o consumo constante de alimentos industrializados e gordurosos pode agravar o quadro, e, também, provocar celulite. Além de tratamentos dermatológicos, a nutrição tem papel importante na prevenção e nos cuidados com a saúde da pele. Vitaminas, minerais e gorduras boas pode ser grande aliadas quando incorporadas ao dia a dia; inclua na dieta azeite de oliva extra virgem, óleo de semente de abóbora como tempero de saladas.
Probióticos e ômega 3 podem salvar a sua pele Atenção ao bom funcionamento do intestino. Isso é fundamental desde a juventude. Evite a disbiose aumentando o consumo de fibras – inclusive as prebióticas2, como a farinha de banana verde – diminuindo o consumo de carboidratos refinados, dando preferência aos integrais, e incluindo os probióticos3. Frutas, verduras e legumes – de preferência orgânicos – devem ser abundantes na dieta, pois são ricos em antioxidantes que combatem o excesso de radicais livres. Inclua no cardápio o açaí, o chocolate amargo e as frutas vermelhas como cranberry e romã. O ômega 3, que é uma gordura de ação anti-inflamatória, também auxilia no tratamento da acne. Use cápsulas de óleo de peixe ou linhaça.

Aos 30 anos O uso de anticoncepcionais é uma constante entre as mulheres, mas reduz no organismo a presença de nutrientes, como vitamina C, vitaminas do complexo B (B1, B2, B3, B6 e B12) e ácido fólico e minerais, como zinco e magnésio. Essa deficiência pode trazer complicações à saúde, pois leva a alterações no metabolismo do triptofano4, gerando queixa de depressão em pacientes suscetíveis.
Vitaminas para combater os efeitos colaterais do anticoncepcional
Inclua no cardápio cereais integrais como: arroz, quinua e aveia, vegetais folhosos escuro (couve, brócolis, espinafre) e frutas (limão, laranja, acerola, goiaba e caju). O suco de cranberry é fonte de vitamina C e fica muito saboroso se misturado ao suco de laranja.
O ômega 3 também tem papel importante no combate à depressão. Por isso, mantenha o consumo do óleo de peixe na sua rotina.

Aos 40 anos O climatério representa a transição entre a fase reprodutiva e a não reprodutiva. Ocorre em todas as mulheres a partir dos 45 anos. Nessa fase, algumas mulheres apresentam mudanças em sua composição corporal com maior acúmulo de gordura na região abdominal, o que aumenta o risco de desenvolvimento de diabetes tipo 2 e de doenças cardiovasculares.
Para desacelerar o envelhecimento
Inclua no cardápio cereais integrais como a quinua, arroz integral e aveia. Prefira proteínas vegetais como lentilha, ervilha, grão de bico e soja, ou proteínas animais como ovo e frango orgânico, além de peixes (como a sardinha). Frutas, verduras e legumes são fontes de vitaminas e minerais de ação antioxidante que retardam a ação dos radicais livres, diminuindo o ritmo do envelhecimento.

Para reduzir os sintomas da menopausa Evite alimentos industrializados, refrigerantes, doces e gorduras. Inclua a linhaça no cardápio, em sucos, vitaminas, shakes ou sopas. Além de ômega 3, ela é fonte de lignanas, um fitoestrógeno que alivia os sintomas da pré menopausa. Aumente também o consumo de fibras e inclua probióticos na dieta.

Aos 50 anos Com a chegada da menopausa, 60 a 80% das mulheres se queixam de sintomas característicos como fogachos (ondas de calor), insônia, mudança de humor, diminuição de libido, dor durante o ato sexual, alteração de memória e concentração, mudanças na pele, cabelos e unhas, além de acelerado processo de envelhecimento.
Para amenizar os sintomas
É possível realizar uma terapia de reposição hormonal com fitoestrógenos – substâncias retiradas de plantas com ação semelhante ao estrogênio – como as isoflavonas da soja e o óleo de prímula. Durante a menopausa, é importante aumentar o consumo de antioxidantes, redobrando a proteção contra doenças cardiovasculares. Os antioxidantes também ajudam a diminuir os fogachos e retardam o envelhecimento da pele.
Atividade física e gorduras insaturadas são essenciais
Inclua no cardápio frutas vermelhas, suco de cranberry, romã e uva, cacau, cúrcuma e, ainda, verduras. Aumente o consumo de óleos de linhaça, peixe e azeite de oliva extra virgem. Cápsulas de beta caroteno ou licopeno têm potente efeito antioxidante. Evite o álcool, a cafeína e os alimentos gordurosos, pois podem agravar os sintomas e os calores.
A atividade física também tem importante papel na melhora de todos os sintomas, mas lembre-se de que a menopausa não é uma doença, é sim, uma transição que marca o fim da fertilidade, mas não da sexualidade. Com acompanhamento profissional, cuidando da alimentação e tendo bons hábitos, a mulher ainda irá aproveitar muitos anos de vida com qualidade e bem-estar.

Glossário:
Disbiose: quando as bactérias benéficas da microbiota5 intestinal são diminuídas, prevalecendo as bactérias patogênicas. Se ocorrer, nosso organismo fica sujeito à absorção de toxinas e alimentos não digeridos, tornando-se debilitado.
Prebióticos: algumas fibras alimentares que são fermentadas pelas bactérias probióticas, facilitando sua adesão e crescimento no intestino. Também auxiliam na regularização do funcionamento intestinal.
Probióticos: são bactérias boas que fortalecem a microbiota intestinal.
Triptofano: é um aminoácido, que, junto à vitamina B3, à niacina e ao magnésio, forma a serotonina, um neurotransmissor importante no processo bioquímico do sono e do humor.
Microbiota: é a população formada pelos microganismos que habitam o órgão. Quando a microbiota é saudável, o sistema imunológico é mais forte, o intestino funciona melhor e há menos risco de doenças.

Fonte: Revista Mundo Verde/Adaptado pela Unimed Curitiba

Anúncios
Esta entrada foi postada em Sem categoria.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s