Podemos comparar nossas crises ao funcionamento do computador?

Muitas vezes nós “travamos” diante dos desafios da vida. Pode ser um problema físico, emocional, psicológico ou espiritual.
Tudo começa a ficar paralisado e ficamos passivos em relação às situações que pedem de nós uma resposta, começamos a descontar nossas frustrações nas pessoas que não tem nada a ver com nossos problemas, magoamos as pessoas à nossa volta que só nos querem bem e ficamos atordoados procurando uma paz que nem sequer sabemos se existe ou se teremos um dia.
Como diz um poeta “Amar é uma mistura de alegria e medo; de paz por um lado e ameaça de guerra pelo outro.
É temer não estar à altura.
É sofrer tanto mais quanto mais querer.”
SERÁ MESMO?
Vivo passando por isso…Será que somos nós que atraímos isso pra nossa vida ou elas simplesmente estão escritas para acontecer?
DE ONDE VÊM TANTO MEDO DAS COISAS DAREM ERRADO?
 
Alguns dizem que, caso a vida trave com muita freqüência, é preciso verificar o que anda errado em nossa existência. Fazer um exame de consciência, analisar vários aspectos e identificar o que precisa ser consertado.
 
Se não fazemos isso de vez em quando, começamos a tomar rumos não confiáveis. E com isso, corremos o risco de perder tudo o que é importante para a nossa existência. De que vale um computador lindo por fora e oco por dentro? Não vai ligar, nem servir para nada e acabamos nos perdendo de nós mesmos…
 
Às vezes penso que começar de novo é o segredo. Por que pior que errar, é permanecer no erro. Pior que permanecer no erro, é não recomeçar para sair dele. 
Mas de onde vêm a coragem para  apertar o botão para reiniciar tudo?
Acho que se eu apertar o meu botão vermelho eu VOU EXPLODIR PELOS ARES! BoOoOoM!!!
QUEM VAI AJUDAR A RECOLHER OS PEDAÇOS?

EU SOU EGOÍSTA? TOCA RAUUUL…

EU SOU EGOÍSTA

Raul Seixas

Se você acha que tem pouca sorte
Se lhe preocupa a doença ou a morte
Se você sente receio do inferno
Do fogo eterno, de Deus, do mal
Eu sou estrela no abismo do espaço
O que eu quero é o que eu penso e o que eu faço
Onde eu tô não há sombra de Deus
Eu vou sempre avante no nada infinito
Flamejando meu rock, o meu grito
Minha espada é a guitarra na mão

Se o que você quer em sua vida é só paz
Muitas doçuras, seu nome em cartaz
E fica arretado se o açúcar demora
E você chora, você reza, você pede, implora
Enquanto eu provo sempre o vinagre e o vinho
Eu quero é ter tentação no caminho
Pois o homem é o exercício que faz
Eu sei, sei que o mais puro gosto do mel
É apenas defeito do fel
E que a guerra é produto da paz

O que eu como a prato pleno
Bem pode ser o seu veneno
Mas como vai você saber… sem tentar?

Se você acha o que eu digo fascista
Mista, simplista ou anti-socialista
Eu admito, você tá na pista

Eu sou ista, eu sou ego
Eu sou ista, eu sou ego
Eu sou egoísta, eu sou egoísta
Por que não?